Alô, Chics!

Modismos envelhecem

Alô, Chics!

Nada mais ultrapassado do que um modismo vencido. No dia seguinte em que um modismo é substituído por outro, o anterior fica parecendo muito velho e muito fora de moda. É só olhar fotografias de cortes de cabelo da hora, cores de esmaltes de unha, tipos de sapatos...

Paradoxalmente, quem muda pouco ao longo dos anos vai mantendo sua imagem e seu estilo de modo menos perecível numa linha do tempo. Devia ser o contrário, mas resulta que não é!

Peguem a fotos de Jacqueline Onassis como exemplo. Essa mulher variou pouquíssimo seu corte de cabelo, seus óculos, seu estilo de vestir. Resultado: ela nunca pareceu fora de moda ou envelhecida nas fotos antigas.

A se pensar...

Gloria Kalil

Enviar por E-mail

Deixe seu comentário

Enviar por E-mail

Miss Bumbum na moda

Alô, Chics!

Quando lancei o meu primeiro livro, Chic, Um Guia Básico de Moda e Estilo, para o público feminino, em dezembro de 1996, passei a ser convidada para dar palestras sobre o assunto em todos os estados do Brasil. Naquele tempo, 18 anos atrás, uma das queixas que eu mais ouvia, principalmente nas cidades do Nordeste e mesmo do Sul, era que a informação da moda que se usava no eixo Rio-São Paulo demorava a chegar e que era aceita com dificuldade por ser muito ousada.

Inacreditável como esse panorama mudou radicalmente com o advento da Internet.

Hoje em dia, a informação é instantânea e só não está por dentro do ultimíssimo modismo lançado há minutos em NY, Tóquio ou Londres quem não quer.

A prova é o modernérrimo (que não quer dizer bonito) macacão de láicra estampado usado com a maior naturalidade pela Miss Bumbum evangélica do estado de Rondônia.



Eu não sabia que evangélicas, em geral tão pudicas (só me lembro da candidata a presidenta, Marina Silva), pudessem usar roupas tão sexy ou mesmo terem seu bumbuns comentados. Embora o gosto da escolha seja muito discutível, o que não se discute é a velocidade com que esse modismo chegou a Rondônia, uma vez que ele acaba de ser adotado por várias celebridades internacionais nos festivais de verão.



Algum evangélico também deve ter se incomodado com a escolha do justíssimo traje, pois pixou o muro da casa da Miss com um ofensivo “Bumbum do Capeta” que ela apressou em pintar de azul celeste para disfarçar.



Pode-se dizer o que quiser sobre o comportamento da Miss Bumbum de Rondônia, mas que ela é informada em moda, não se discute. Para o bem ou para o mal, a moda não se faz mais esperar!

Beijos,
 

Gloria Kalil

Enviar por E-mail

Deixe seu comentário

Enviar por E-mail

Gisele Bündchen: 20 anos de passarela

Uma vez assisti a um vídeo sobre o Santos Futebol Clube que mostrava um treino do time nos meados dos anos 1960. Um jogador chamava imediatamente a atenção. Apesar de não ser o mais forte ou o maior, era sempre ele quem pulava mais alto e chegava antes na bola. Era Pelé.

Gisele Bündchen é assim.



Existem outras tão lindas quanto, ou talvez até mais perfeitas de traços, mas ninguém chega nem perto dela em cima de uma passarela. Quando a Bündchen surge na boca de cena, parece que as luzes ficam mais fortes. Ela faz uma paradinha na entrada, levanta o pescoço, dá uma encarada nas luzes e sai, como um potro de raça solto num picadeiro.

Não sobra para ninguém.

Gisele é hoje a modelo mais bem paga do mundo, segundo a revista Forbes. Não é à toa: trata-se da melhor modelo do mundo.

__

Os gifs mostram a primeira vez que Gisele pisou numa passarela, na final do concurso Elite Model Look - lá em 1994, com 14 anos. Assista ao vídeo, com o relato de Paulo Guerra, então produtor do concurso de modelos.

 

Gloria Kalil

Enviar por E-mail

Deixe seu comentário

Enviar por E-mail

Ciao iG, hello UOL

Alô, Chics!

Depois de 14 anos de iG, o Chic está mudando de casa. Só temos agradecimentos a fazer e boas lembranças destes tempos de pioneirismo, achados e aprendizados, sustos e alegrias.

Está, porém, na hora de vôos mais desafiantes e de maior amplidão para este que foi um dos primeiros sites de moda do Brasil (se é que não foi do mundo!). Para essa nova etapa de crescimento, vamos para o UOL. Temos a certeza de que a soma da qualidade e abrangência desse portal, primeiro em audiência no Brasil, e a nossa experiência e conhecimento do mercado de moda pode nos levar muito longe.

Para onde? Para onde a mais moderna tecnologia, o melhor time de vendas e o melhor conteúdo de moda – sempre em movimento - nos conduzir.

O UOL pode contar conosco para uma entusiasmadíssima chegada, como estamos (já) contando com eles por um eficiente e simpático acolhimento. A passarela para este desfile está se iluminando e o show vai começar. Todos os Chics e todos os UOL já têm garantidos seus lugares na primeira fila.

Vamos lá.
Beijos,

 

 

 

Gloria Kalil

Enviar por E-mail

Deixe seu comentário

Enviar por E-mail

Selfie fora de hora

Barack Obama foi o primeiro. Péssimo exemplo deu o presidente norte-americano ao topar uma selfie no enterro do líder africano Nelson Mandela. A partir daí a prática se acreditou liberada e foi - como se viu - amplamente exercitada no enterro do candidato a presidência do Brasil, Eduardo Campos.

Embora a família do político tenha se mostrado discreta e tenha ficado recolhida em sua casa até a hora final do sepultamento, o fato não escapou do clima de espetáculo que tem acontecido na morte de qualquer pessoa famosa.

A televisão, ao cumprir seu dever de mostrar os acontecimentos, o acúmulo de fotógrafos, a presença de celebridades estimula as pessoas comuns, e que não têm nada a ver com o morto, a irem ao local do velório “prestar uma última homenagem” e, de quebra, fazer uma selfiezinha para colocar nas redes sociais.



O fenômeno se repete nas ocasiões mais absurdas; é moda também ir a exposições em galerias de arte e museus e – de costas para os quadros e esculturas - colocar a foto no ar para mostrar que esteve lá. Ninguém está interessado no trabalho dos artistas, o que vale é a foto na rede.

Ô praga. Há ocasiões em que o uso do celular se torna inconveniente, invasivo e descabido. Enterro, com certeza, é um deles.

+ LEIA MAIS POSTS DE GLORIA KALIL


 

 

Gloria Kalil

Enviar por E-mail

Deixe seu comentário

Enviar por E-mail

Meia ou não meia?

Alô, Chics!

São muitos os editoriais de moda de inverno em que se vê modelos usando botas, sapatos fechados, suéteres pesados, paletós de pele e...sem meias. O recado fashion é que não se pode mais usar meias?

Pode, sim. Ninguém vai obrigar você a pegar uma pneumonia em nome de um modismo descabido. Veja aqui quais as meias usáveis e quais as que podem passar mais algum tempo no fundo das gavetas:

4 MEIAS QUE ESTÃO NA MODA

1. As arrastão.




2. As tipo legging.



3. As 3/4.



4. As curtas.



+ VEJA TUDO SOBRE AS TENDÊNCIAS DE MODA NA VIDA REAL NO CANAL COMO USAR

2 MEIAS QUE AINDA SE USAM

1. As pretas opacas, que vão até os pés.



2. As fumê.



3 MEIAS QUE VÃO PARA O FUNDO DAS GAVETAS

1. As totalmente transparentes.



2. As meias calça clarinhas, tipo esbranquiçadas.



3. As rendadas e decoradas.

 + MAIS POSTS DE GLORIA KALIL

Gloria Kalil

Enviar por E-mail

Deixe seu comentário

Enviar por E-mail

»Notícias Anteriores