Alô, Chics!

Se eu fosse psicanalista

Se eu fosse psicanalista, faria um curso de moda. Nada é tão revelador de uma personalidade quanto a roupa que a pessoa escolhe para vestir e se deixar ver, naquela hora, naquele dia.

Quem presta atenção na moda e tem algum conhecimento de seus códigos percebe, num piscar de olhos, o grupo a que a pessoa pertence (ou a que pretende pertencer), a relação dela com a idade que tem (ou que quer aparentar), o clima que ela quer passar: sexy, esportiva, discreta, clássica, desencanada, moderna.

Eu sei, de bater o olho em qualquer homem ou mulher, tudo o que eles pensaram ao escolher aquela roupa - e não outra. É bom que se diga que não sou nenhuma bruxa, tenho zero grau de mediunidade; essa minha percepção do recado que a roupa dá está na própria roupa; todas elas têm um significado e dizem muito sobre você.

Não conheço ninguém, mas ninguém mesmo, que abra o armário de manhã e tire dele a primeira peça que as mãos alcançarem. Nada disso. A pessoa faz um cálculo rápido, e quase que inconsciente, do seu dia: levo as crianças no colégio, depois vou para o escritório, almoço com fulano e de noite, antes de ir para casa, passo no bota-fora de sicrano. Aí sim, ela pega a roupa que vai mostrar ao mundo o modo como ela quer ser vista e avaliada naquele dia.

A maioria das pessoas acha que a moda é uma indústria que dita tendências e fabrica roupas. A graça da moda, pelo menos para mim, não é essa. Moda é um espelho de comportamentos pessoais, regionais e nacionais. Por isso, é tão variada e tão atraente.

Até os anos 1950, a moda era extremamente formal e ditatorial. Vinha de cima para baixo e ficava claro que ou você obedecia, ou você não pertencia a essa classe social dominante e informada. Era uma moda de exclusão, uma moda que representava classes.

Dos anos 1960 aos 1980, a moda descobriu o jovem e a informalidade. Foram duas décadas de revoluções de comportamentos políticos e sociais. O mundo se dividiu em direita e esquerda, cultura e contracultura, formalidade e informalidade. A moda representava essas duas posições.

A partir de 1990, com a queda do muro de Berlim, a globalização e a informática, o mundo se aproximou e a moda se pulverizou. Deixou de ser uma moda para poucos, para só duas possibilidades de expressão, para começar a representar individualidades, personalidades. Hoje, ela revela o estilo pessoal de cada um. Roupa passou a ser a maior bandeira que alguém pode dar sobre si.

Por isso, recomendo um cursinho de moda rápido para "psis" em geral, para sociólogos, professores, educadores. Nada dá mais pistas sobre um indivíduo, um povo ou uma cultura do que a roupa que elas usam.
 

Gloria Kalil

Enviar por E-mail

Deixe seu comentário

Enviar por E-mail

Apimente o jantar da empresa

No dia do jantar ou da festa da empresa, faça uma experiência nova e não sente ao lado dos colegas de sempre, aqueles com quem você almoça todos os dias.

Faça o contrário, procure ficar perto de alguém com quem não tem nenhum contato durante o ano, seja porque a pessoa é de outro departamento ou porque é de um nível hierárquico muito acima ou muito abaixo do seu. É uma maneira de aumentar seu alcance profissional além de fazer você passar horas bem mais surpreendentes e divertidas.

Já passei por essa experiência ao me sentar uma vez ao lado de uma mulher que trabalhava no departamento administrativo da indústria têxtil da qual eu era diretora criativa. Nunca tinha conversado com ela além dos cumprimentos básicos nas poucas vezes que nos cruzávamos em algum corredor. Pois a mulher me encantou a noite toda, contando suas aventuras como dançarina de salão.

Ela e o marido treinavam em casa e se apresentavam em shows de clubes nos finais de semana ganhando prêmios e se divertindo à beça com a cumplicidade, com o exercício, além do dinheirinho extra que faziam com os prêmios e que era todo investido em figurinos estilosos para acompanhar as coreografias.

Como eu teria sabido disso se não tivesse puxado prosa com ela nessa oportunidade?

São três as perguntas que voce pode fazer e que levam qualquer pessoa a se abrir e contar coisas incríveis sobre suas vidas aí:

. Como foi o seu ano?
. Como você está vendo o próximo?
. O que você mais gosta de fazer fora do escritório?

Experimente e vai ver como o jantar da empresa vai ficar muito mais rico e divertido.

Gloria Kalil

Enviar por E-mail

Deixe seu comentário

Enviar por E-mail

12 conselhos para a festa da firma

Alô, Chics!

Nunca é demais reforçar. Aqui vai – de novo - uma lista de 12 coisas que não devem ser esquecidas nas festas de final do ano de empresas. Anote aí para não pagar mico nem na hora, nem no dia seguinte:

1. Coma alguma coisa antes de sair, para ficar em condições de esperar o jantar chegar sem ficar “alegrinho” 15 minutos depois de chegar na festa

2. Não beba demais. Repito: não beba demais

3. Não leve acompanhante que não pertença à empresa sem que isso tenha sido acordado antes

4. Não use roupa muito curta

5. Não use decote muito  longo

6. Não levante para se exibir numa coreografia funk no meio da pista nem fique dando beijnhos no ombro cada vez que olhar para o chefe

7. Não aproveite a ocasião para “dizer umas verdades” para o chefe ou colegas

8. Não faça confidências nem fique sentimental depois do segundo copo.

9. Não tire o chefe para dançar. Se tirar mesmo assim, não insista se ele (ou ela) disser não.

10. Não solte o tigrão (ou a pantera) que existe dentro de você par não ficar passando cantada em colega ou na mulher do patrão

11. Não fique tirando selfies com a chefia

12. Não poste fotos da festa sem pedir permissão de quem está sendo fotografado

Para resumir: festa em que o dono pode te mandar embora no dia seguinte, não é festa. É (ainda) trabalho!

Bjs

Gloria Kalil

Enviar por E-mail

Deixe seu comentário

Enviar por E-mail

Detox pré-Natal

Alô, Chics!

Todo mundo pensa em um dia de folga para o estômago depois de uma - ou muitas - comilanças. Pois eu resolvi fazer o contrário: entrei numa dieta de sucos uma semana antes de enfrentar vários jantares e ceias de Natal. Achei a experiência ótima e passo a dica adiante para quem quiser.

Meu regime líquido foi com a DoVivo, empresa de uma amiga. Você liga ou vai de e-mail e combina o dia que quer fazer o detox para que elas façam os sucos de véspera e entreguem em sua casa. São 6 garrafas de sabores variados para o café da manha, lanche da manhã, almoço, lanche da tarde, jantar e noitão.

A primeira pergunta que você vai me fazer é se a pessoa passa fome. Não passa. Os sucos são balanceados para que tenham os nutritivos necessários e são bem espessos: os do horário do almoço e do jantar são grossos como sopas reforçadas.

Eu adorei esse pré-detox e posso garantir que a sensação de leveza que fica é ótima. São muitas as empresas que oferecem esse tipo de produto. Escolha uma que você conheça e que seja séria e tente. Suas farras natalinas serão aproveitadas com muito menos culpa!

DoVivo
www.DoVivo.com.br

Gloria Kalil

Enviar por E-mail

Deixe seu comentário

Enviar por E-mail

Esporte fino

Alô, Chics!

No sábado, dia 6 de dezembro, eu e mais 38.044 pessoas fomos à arena do Corinthians em Itaquera para assistir ao jogo do Timão contra o Criciúma. É bom que se esclareça que o Criciúma é o lanterna do Campeonato Brasileiro e o jogo não traria nenhum título para o time corinthiano. A formidável lotação do estádio era apenas pelo prazer de ver o time jogar.

Meu irmão, com quem fui ao jogo, disse que se perguntássemos para a maior parte dos torcedores quem seria o rival da tarde poderíamos perfeitamente receber um "não sei" como resposta. A ida ao estádio era só para estimular o time, participar da festa da torcida organizada e se divertir com o passeio.

De fato, o programa é uma farra e tem que ser curtido passo a passo: saída de metrô cheio de torcedores, chegada na estação final depois de 35 minutos de viagem, caminhada até o estádio junto com a multidão e gritaria e grandes emoções durante o jogo. Incrível a quantidade de pais com filhos ou mães com crianças muito pequenas participando da partida com tudo a que têm direito: xingos ao juiz, gritos de fúria contra bolas perdidas, choro e beijos nos gols ou nas grandes jogadas. Tudo na mais perfeita paz.

Para quem nunca foi ao um jogo de futebol, fashionistas que só sabem se apertar nos corredores das semanas de moda, recomendo o programa! É muito divertido e muito emocionante. Um desfile e tanto!

Só para terminar esse relato de pura alegria: o Corinthians ganhou de 2 a 1!

Beijos,
 

Gloria Kalil

Enviar por E-mail

Deixe seu comentário

Enviar por E-mail

Ser Chic

Alô Chics!

Em dezembro de 2013 fizemos uma lista de 21 nomes para estrelar nossa relação de Chics do ano. Foram tão bem escolhidos que repetiríamos a votação neles caso o critério permitisse, mas resolvemos neste final de 2014, colocar nomes novos. O que é ser chic? Continua valendo a definição que dei no meu primeiro livro Chic, Um Guia Básico de Moda e Estilo, de 1996 _portanto há 18 anos: “Quando você está confortável dentro de uma roupa, se ela demonstra com sutileza a sua personalidade, a originalidade da escolha ou até mesmo uma certa ousadia, você, com certeza, vai ser considerada uma pessoa chic.” Acrescento a esta definição apenas a necessidade de um comportamento igualmente bem cuidado e delicado em relação aos outros, à cidade em que vivemos, ao país, ao mundo. Ninguém é chic se não for civilizado! Os nomes escolhidos, apresentados aqui em ordem alfabética, representam esses valores. Vocês, chicnautas, concordam com a seleção ou teriam outras sugestões? Pois mandem; teremos o maior prazer em ampliar a lista!

(Nota da Redação: o Chic agradece às marcas Camila Klein e Luxottica, que enviam aos convidados uma bijoux, no caso das mulheres, e um óculos Persol, no caso dos homens, como uma lembrança por participar na lista deste ano).

+ENQUETE: VOTE NO SEU PREFERIDO DENTRE OS INDICADOS PARA "OS + CHICS DE 2014"

BIA PAES DE BARROS, CONSULTORA DE MODA



Além de se vestir bem, consegue, com misturas novas e cheias de personalidade, vestir bem as participantes do programa Vamos Combinar Seu Estilo, da GNT. Faz o gênero clássica com muito tempero.

CATRINA CARTA KOWARICK, RELAÇÕES PÚBLICAS



Com seu sobrenome e vivência, tinha tudo pra ser editora de moda (ou mesmo blogueira!). Mas preferiu o backstage dos eventos fashion, trabalhando na assessoria de imprensa da MktMix. Tímida para fotos, bonita, tem um jeito muito discreto, mas charmoso para se vestir e para lidar com pessoas.

CLAUDIA MOREIRA SALLES, DESIGNER



Assim como os móveis que desenha, sua presença se faz notar pelo minimalismo, elegância e inteligência. Seu estilo: um guarda roupa básico muito bem equilibrado com acessórios interessantes.

CRISTIANA NEVES DA ROCHA, CHIC DE SEMPRE



Frequenta lista das mais elegantes desde seus 18 anos de idade. Sempre chamou a atenção pelo seu modo original e impactante de se vestir. É alta-costura na aparência e no conteúdo.

DONATA MEIRELLES, DIRETORA DE ESTILO DA VOGUE



Consegue estar sempre na difícil zona da intersecção entre o Chic e o Estar na Moda. Tem um jeito especial de usar o casual de uma forma sofisticada e o formal de um modo despojado.

EUGÊNIA MOREYRA, DIRETORA DA GLOBO NEWS



Antenada em pequenos detalhes que comunicam contemporaneidade: bom corte de cabelo, boas roupas, olho afiado, cabeça a mil e bom humor.

FERNANDA FEITOSA, CRIADORA DA SP ARTE



Seu mundo é o das artes e sua maneira de se vestir é criativa e clássica ao mesmo tempo. O guarda-roupa transmite eficiência, dinamismo e classe; traços também de sua delicada personalidade.

GIOVANNA MENEGHEL, STYLIST



Formada em Direito, mas com especialização em moda, mostra uma interessante abordagem do Hi&Lo, misturando peças de grife e fast fashion de um jeito sem afetação. É um bom exemplo do novo estilo brasileiro: mais global e menos regional, porém ainda tropical.

LARA GERIN, TUDO (MODELO, STYLIST DJ...)



Não há o que essa linda mulher não faça (e não vista bem). É do tipo fashionista que usa todas as tendências da hora ao mesmo tempo de um jeito que só ela pode. Confirma que personalidade está à frente de qualquer roupa.

CAROLA DINIZ, ISABEL E FRANCESCA GULLO



Inaugurando a categoria "Família", as filhas são nomes (e looks) a se prestar atenção. A mãe tem presença na nossa lista pela graça e modernidade e seus figurinos esportivos e cheios de personalidade.

LENNY NIEMEYER, ESTILISTA



Nem do Rio de Janeiro é, mas acabou virando a personificação do estilo carioca chic, no guarda-roupa, na casa, na vida pessoal. Lenny é uma instituição brasileira.

LYGIA PEREIRA DA VEIGA, PROFESSORA TITULAR DE GENÉTICA HUMANA E CHEFE DO LABORATÓRIO NACIONAL DE CÉLULAS TRONCO EMBRIONÁRIAS DA USP

Leva a vida mesclando a seriedade de sua profissão com um chiquê leve, alegre e descomplicado no modo de se vestir e viver. Como se não bastasse, é uma cantora amadora de voz cheia!

MARIA JULIA COUTINHO, APRESENTADORA



Como garota-do-tempo, chamou atenção pela beleza e pela escolha acertada do seu figurino de televisão para a previsão do clima do Bom Dia Brasil. Seus vestidos-tubo, sem mangas, coloridos e recortados são um sucesso.

MARIANA DI PILLA, EDITORA DE MODA DA MARIE CLAIRE



Arrojada na experimentação de proporções e mix de estampas, além de um olhar afiado para acessórios matadores, é uma versão brasileiríssima (com tempero italiano) da blogueira Leandra Medine, do blog Man Repeller.

MARILU BEER, ARTISTA PLÁSTICA



Companheira de Costanza Pascolato na web série Costanza & Marilu, essa argentina é um arraso de humor, charme e inteligência. Seus cabelos sempre repuxados, suas roupas interessantes fazem dela um tipo atraente e cheio de personalidade.

RENATA VASCONCELLOS, JORNALISTA E APRESENTADORA DO JORNAL NACIONAL



É uma das poucas televisivas que sabem se vestir. Percebe-se que a escolha de suas roupas não passam por personal stylists pois ela está sempre coerente com seu estilo e sempre discretamente chic.

AUGUSTO ARRUDA BOTELHO, ADVOGADO



Uma luz no fim do túnel no que se refere ao estilo da comunidade jurídica! Quando a bela Ana Claudia Michels, sua namorada, não rouba todas as atenções, ele conquista discretamente com um estilo clássico, mas com ar contemporâneo, beneficiado pela silhueta esguia. E ainda gosta de poesia...

DUDU BERTHOLINI, STYLIST



Quebrando todas as barreiras de gênero, já seria uma presença arrebatadora mesmo se estivesse com roupas mais neutras. Muito além do gestual e do caminhar de modelo de alta-costura, usa e abusa de estampas, volumes e acessórios. É uma delícia de ver e estar junto, pois transpira moda.

OSKAR METSAVAHT, EMPRESÁRIO, ARTISTA E ESPORTISTA



É lacônico no falar e na escolha do que veste; está quase sempre de camisetas ou camisas brancas, calças pretas e tênis. É um dandy disfarçado. Suas escolhas aparentemente simples escondem uma pessoa que sabe o que quer e o que lhe veste bem. É também o porta-voz do lifestyle carioca em vários pontos de venda no mundo todo.

ANDRÉ MIDANI, PRODUTOR, MUSICAL, HOMEM DO MUNDO, ESCRITOR NAS HORAS VAGAS...



Esse sírio/brasileiro por muito tempo dominou o mercado fonográfico brasileiro e internacional. Audacioso para se vestir e para viver, foi um dos responsáveis do sucesso da música brasileira nos palcos norte-americanos e europeus. Chic e criativo, veste uma echarpe, um boné e um tênis como ninguém...

LUIZ MELODIA, MÚSICO



O Negro Gato tem uma elegância natural que ele completa com uma moda muito interessante e bem escolhida. Nos palcos ou fora deles, Luiz Melodia chama a atenção pelos movimentos ágeis e pelo bom gosto de suas roupas.

NORBERTO PINHEIRO, BANQUEIRO



De tão chic, há muito pouco a se falar dele além do estilo atlético e da silhueta esguia. Namorado da modelo Vivi Orth, vai contra a tendência selfie que vive o mundo de hoje e tem pouquíssima presença em redes sociais ou mesmo no Google.

PEDRO ANDRADE, APRESENTADOR



Impecável define, mas isto somente não garantiria seu lugar em uma lista de mais chics. Consegue reunir com equilíbrio: o rosto bonito, o guarda-roupa clássico/moderno e um leve toque sexy.

THIAGO PETHIT, MÚSICO



É o rockstar brasileiro desta geração. Se no primeiro álbum ele falava manso e com sotaque francês, em seu novo álbum ele explorou mais a sua personalidade rock’n’roll (e também safada'n'chic) que se reflete também no seu jeito de se vestir.

MÉDICOS SEM FRONTEIRAS, ORGANIZAÇÃO HUMANITÁRIA INTERNACIONAL



Estão nos lugares onde existem as piores condições de vida e de doença, lutando para dar aos flagelados um pouco de conforto e de saúde. São médicos do mundo inteiro que vão, voluntariamente, trabalhar em regiões de enchentes, furacões, tsunamis, terremotos e pestes – pessoas abnegadas dispostas a arriscar a vida por um sentido de solidariedade e de dedicação. Gente de primeira qualidade. Para doações: 0800 941 0808 ou visite www.msf.org.br

Beijos,

Gloria Kalil

Enviar por E-mail

Deixe seu comentário

Enviar por E-mail

»Notícias Anteriores