Alô, Chics!

A roupa nem-nem

Alô, Chics!

A moda volta e meia inventa (ou ressuscita) uma proporção assassina, só para ter alguma novidade. Foi assim com os hot pants (que odeio!) e agora -neste verão e no próximo inverno- retorna com o horroroso “pantacourt” para as mulheres. Ou seja, aquele bermudão que fica no meio da perna. Nem short, nem calça comprida.

 

Não há mulher que fique bem com elas. Se você tem as pernas finas, fica com as canelinhas parecendo palitos; se as pernas são mais redondas, a calça chama atenção justamente para esse volume. As mulheres altas ficam sem graça e as baixas, ainda menores.

+LÉA SEYDOYX, DE SAINT LAURENT: BONITA MAS, NÃO É CHIC...

Eu já detesto esse comprimento para as bermudas masculinas. É só dar um solzinho em São Paulo e a gente vê centenas de homens com aquele shortão bem abaixo do joelho, largo e cheio de bolsos, deixando seus usuários com cara de meninão - o que, convenhamos, não fica bem para os que já passaram dos dez anos de idade.



Ou seja, nem para homens, nem para mulheres; essa roupa não fica bem em ninguém. Vai para a minha lista de “não use porque não dá certo” onde já estão as calças saruel e as hot pants.

+10 MOTIVOS PARA HOMENS NÃO USAREM GORRINHOS, MESMO NO FRIO...
 

Gloria Kalil

Enviar por E-mail

Deixe seu comentário

Enviar por E-mail

Léa Seydoux: bonita; mas não é chic

Alô Chics!

Léa Seydoux é a atriz do momento na França. É a queridinha dos bons diretores de cinema do mundo todo, de Woody Allen a Quentin Tarantino, e tem aparecido em muitos filmes nestes dois últimos anos, sendo que o mais conhecido foi  Azul É a Cor Mais Quente, onde ela fazia uma lésbica de cabelos azuis.

Ela é jovem, bonita, boa atriz, inteligente, gracinha... mas não é chic. No filme Saint Laurent, em cartaz nas salas brasileiras, ela faz o papel de Loulou de la Falaise, uma das grandes amigas e colaboradora do estilista francês - representado pelo ótimo Gaspar Ulliel.



A Loulou de verdade, que morreu aos 63 anos em 2011, era uma das pessoas mais chics de sua época. Vestia-se sempre de um modo absolutamente pessoal, escolhendo muitas das suas roupas e acessórios em brechós (o que não era nada comum na época) e causava sempre espanto e admiração em Yves, que imediatamente sacou seu talento criativo e fez dela sua stylist, sua assessora, sua conselheira - até o final da vida.



Loulou (à esquerda) e Lea

A outra grande amiga de Saint Laurent que aparece no filme é Betty Catroux (ainda viva, a loira, representada por Aymeline Valade no filme). Essa sim é chic. A primeira vez que aparece na tela, sentada num sofá de boate, já chama a atenção do futuro amigo e do espectador do filme com o mesmo magnetismo. E quando levanta para dançar, não tem para mais ninguém.

 
A Betty da vida real vs. Aymeline

Léa faz uma Loulou simpática (a verdadeira não era...), bonitinha, mas sem o charme e a elegância da original. Olhem as fotos e vejam se não tenho razão. Ou assistam ao filme, que é muito bom.

Gloria Kalil

Enviar por E-mail

Deixe seu comentário

Enviar por E-mail

As madrinhas de Solange Knowles

Alô, Chics!

Solange Knowles, a irmã da Beyoncé, casou-se com um lindo vestido branco desenhado para ela por Humberto Leon, estilista da Kenzo. Ao seu lado, no altar, todas as madrinhas vestidas também com roupas brancas. Mas... isso pode?

Normalmente, não. Só se a noiva quiser fazer um quadro vivo do seu altar e combinar com suas convidadas a madrinhas de irem todas de branco.



O que não pode é madrinha, ou mesmo convidada, decidir ir de branco para se rivalizar com a roupa da estrela da festa, a noiva, sem que ela saiba, queira ou esteja de acordo.

A regra é que a turma do altar não use nem branco nem preto. Mas, como no dia do casamento a noiva pode tudo, se ela quiser e combinar antes com as amigas que vai colocar no seu álbum de fotografias uma imagem toda branca, ou preta, ou seja lá a cor que ela inventar – fica tudo certo.

Beijos,

Gloria Kalil

Enviar por E-mail

Deixe seu comentário

Enviar por E-mail

Normcore

Alô, Chics! Tem coisa melhor do que a moda ter inventado que  vestir roupa de gente normal é  uma das modernas formas de estar na moda? Vamos convir que a maioria das pessoas é normcore ou, pelo menos,  tem seu dia de normcore.

Qual foi o fashionista que nunca saiu de casa de jeans e camisa - ou camiseta? Ou de legging e camisetão? Ou de roupa de ginástica? Ou botou qualquer coisa toda preta para ir ao cinema?


Winona Ryder, Naomi Watts e Kirsten Dunst

Pois a categoria dos que se vestem de um jeito totalmente sem pretensão, para não chamar a atenção, agora é uma categoria de moda: normcore!

O hi-lo já tinha dado um help nas montagens, dando a chance de se usar roupas mais baratinhas sem que se perdesse a pose fashion. Mas nada se compara agora ao normcore - a moda da inclusão! Meus tios e a grande maioria das minhas tias são normcore, assim como o porteiro do meu prédio, o técnico de televisão, os motoristas de táxi...   o normcore pôs todo mundo na moda!

Gloria Kalil

Enviar por E-mail

Deixe seu comentário

Enviar por E-mail

5 motivos para odiar hot pants

Odeio hot pants.
Porque? Porque elas são o saruel dos biquínis – aquele tipo que veste mal todo mundo (ou quase).

Minhas razões para odiar as hot pants estão abaixo:

1. QUEIMA MAL

Tire o calção depois do sol e vai ver sua barriga com uma horrorosa faixa branca bem no meio.

2. A PROPORÇÃO É PÉSSIMA



Corta o corpo e deixa a silhueta achatada.

3. NÃO ESCONDE A BARRIGA

Qualquer menção de barriga fica mais evidenciada com aquela calça alta, ao contrário do que se imagina.

4. NADA DE SEIOS GRANDES

Se você tiver um peito maior do que 40, fica ainda pior: junta a parte de baixo com a de cima do corpo, engordando seu visual em pelo menos 2 quilos.

5. UMA EXCEÇÃO

Só funciona - menos mal - se você for alta e magra. Não é o caso da maioria de nós, mortais.

 

 

Gloria Kalil

Enviar por E-mail

Deixe seu comentário

Enviar por E-mail

Boa, Calabresa!

Alô, Chics.

Pior do que ver a foto do marido beijando uma mulher no vão de uma rua é ter o mundo todo se metendo no assunto e dando lições de moral a quem não pediu.

Dani Calabresa deu ontem na televisão um show de inteligência e de firmeza ao fazer humor com o caso e tascar um beijo no colega de bancada durante o programa CQC, do qual é uma das principais protagonistas, e mandando passear os “certinhos” que ficaram criticando e comentando o caso como se tivessem alguma coisa a ver com isso.



Muito bem, Calabresa. Seu assunto com a escorregadela do seu marido você resolve em casa; na rua e na mídia, toca pra frente que atrás vem gente. E chega desse assunto.

Gloria Kalil

Enviar por E-mail

Deixe seu comentário

Enviar por E-mail

»Notícias Anteriores