Alô, Chics!

Carmen e os anos dourados



Foi-se um ícone dos anos dourados. Carmen Mayrink Veiga morreu dormindo, aos 88 anos, no Rio de Janeiro - cidade onde ela, uma paulista, viveu depois de seu casamento com o rico e bonitão Tony Mayrink Veiga em 1956.

Tony era de tradicional família carioca e ela uma jovem mulher totalmente fora dos padrões estéticos burgueses da época: ela era muito alta, tinha uma beleza exótica e chamativa e circulava com grande liberdade nos meios sociais de São Paulo.

Foi bem recebida pela fervilhante sociedade carioca e depois, pela internacional, onde brilhou com suas roupas de alta-costura, suas festas e sua radiante beleza. O final da vida foi bem distante de todo esse glamour, de modo que vamos nos lembrar dela como um símbolo de um tempo chamado dourado, quando o Rio de Janeiro estava também debutando como uma das mais lindas e atraentes cidades do mundo.

/system/signatures/2/original/assinatura-gloria-kalil.gif