Boa Vida

Ex-blogueira Alessandra Garattoni lança livro sobre o universo das it girls

Sou louca por uma listinha, um ranking, guias de estilo ou viagem... Tudo que se proponha a colocar as coisas em tópicos me interessa: top 10 da década, o que fazer no verão, o que ter no guarda-roupa. Mesmo que não faça nada do que está escrito, costumo me divertir com as ideias de cada um dos autores. Não à toa, coleciono as edições do The Bad Girl's Guide to ..., da Cameron Tuttle, e os guias da Nina Garcia. Sem falar do Chic, da Gloria Kalil, o primeiro da coleção e que precisei esperar meses até chegar à minha cidade (ah, os anos 1990!); o Essencial, da Costanza Pascolato, e até a série sobre viagens da Danuza Leão.

Por isso, abri empolgada o livro It Girls – todos os segredos de uma verdadeira it girl, da Alessandra Garattoni, muito curiosa para ver o que ela tinha aprontado – no bom sentido! Para quem não sabe, Ale, como é chamada, estudou Administração, mas foi fisgada pelo jornalismo e trabalhou nas redações do site Glamurama e da RG (hoje é editora de texto da revista da Carta Editorial). Mas foi com seu “falecido” blog, o It Girls, que angariou uma legião de fãs. O assunto principal da página da internet era justamente o universo dessas meninas “it” – a saber: Olivia Palermo, Giovanna Battaglia, Alexa Chung...

Depois de encerrar a conta do blog, em julho de 2010, Ale decidiu investir em um outro projeto: os livros. Com um espírito à la Lauren Weisberger (autora do best-seller O Diabo Veste Prada e ex-assistente de Anna Wintour), a carioca lança agora, em dezembro, a primeira edição de uma série de publicações – a ideia é lançar um livro por ano, mas não há contrato com a editora que force a meta.  O It Girls citado acima é o primogênito.

Pois bem, por que, em meio a tantos outros guias, comprar mais esse? A resposta é simples: Ale explora de uma maneira bem peculiar as it-listas. Que uma camisa branca, um trench coat, um jeans e um cashmere são básicos, todas as publicações já falaram, certo? A vantagem no livro de Ale é que o olhar dela é voltado justamente para as meninas mais jovens e que ainda, de fato, não precisam de uma camisa branca e uma saia-lápis no armário! O It Girls é um excelente guia de introdução para as adolescentes ao universo adulto. É muito gostoso também quando as personagens são transportadas para o Brasil – supor o que fariam Olivia Palermo e Whitney Port se elas vivessem em São Paulo e dar sugestões de como ser uma it girl com budget zero, por exemplo, é leve, divertido e agradável de ler. Além disso, o tamanho, a capa dura e as ilustrações são fofas e deixam o livro com jeito de it-presente de Natal.  

No entanto – é, sempre tem um “no entanto”, né?  – o pouco tempo de edição (cerca de seis meses) deve ter prejudicado um tanto quanto o resultado final. Parece que, na ânsia de mostrar tudo o que sabe ou pena de deixar algum texto de fora, Ale juntou muito conteúdo ao mesmo tempo. Alguns tópicos valem por si só um livro e não precisavam estar logo neste primeiro exemplar. “It Girls no trabalho”; “Um casamento de It Girls”; “It Girls nas Capitais da Moda”; “It Girls Vão às Compras” são ótimos títulos para os próximos lançamentos.

Essa velocidade, típica dos blogs, é verdade, compromete também as informações – o que, quando é um blog, releva-se, mas impresso num livro com capa dura, não. Livro não é fast-fashion, um livro vai ficar na estante por muito e muito tempo e precisa ser apurado e contextualizado. Um livro sobre it girls que não cita Clara Bow, estrela do filme It, de 1927, e que criou o termo it girl, é uma falha. Um roteiro sobre Paris que indica o Café de Flore é preguiçoso – todos os guias de viagem do mundo falam de lá! Eu quero saber onde a Clémence Poésy vai! Em Nova York, indicar um sábado de compras no Soho atualmente é programa de novo rico brasileiro (não é por acaso que a Prada tem três funcionários que falam português: os brasileiros são considerados os novos japoneses/coreanos/russos! Isso não é it). Cadê a Henri Bendel? E a Scoop? E as lojas de Chelsea e Meatpacking? E os brunchs na região da Bowery? Por que a Gap, famosa pelos básicos, está na lista de fast-fashion e a Uniqlo não?

Alessandra sabe que tem um produto muito bom e rentável nas mãos. É uma profissional perspicaz e, com calma e mais tempo para pensar e lançar o segundo livro, é certo que irá corrigir eventuais deslizes. Estou esperando ansiosa – novamente, claro – pelo próximo!

It Girls – todos os segredos de uma verdadeira it girl
Editora Arte Ensaio, R$ 29,90

Nas principais livrarias do Brasil a partir do dia 13.12.

 

Enviar por E-mail

Notícias Relacionadas

Deixe seu comentário

Enviar por E-mail