Moda

Animale . inverno 2016

O release da marca diz: “um inverno de muitas propostas para uma geração de mulheres híbridas, com novos pensamentos e ideias”. Pois, é. E é justamente essa quantidade de propostas que atrapalha a coleção; são muitas famílias diferentes, são muitas as escolhas de estilo, são muitos os comprimentos de saias para dar unidade e força ao conjunto.

A mulher que usa uma saia micro com uma malha não é a mesma que usa uma echarpe esvoaçante no pescoço e uma saia mídi, nem a mesma que usa o vestido severo abotoado na frente. A tentativa de abraçar todo tipo de cliente, em vez de fortalecer, pode diluir a essência da marca.

Problema de edição ou de direção? Seja lá o que for, esses comentários não tiram o mérito de peças e propostas muito boas e muito bonitas como toda a série de malhas em côte (de aspecto cotelê) e com vazados mais transparentes, as camisas brancas, os belos mantôs bem feitos e em ótimos tecidos e a pequena série estampada do final com desenhos soltos, um pouco surreais.
 

TRILHA SONORA

Enviar por E-mail

Notícias Relacionadas