Moda

Dossiê balé: filme Cisne Negro põe universo da dança de volta na moda; saiba como fazer parte deste movimento

Previsto para chegar aos cinemas dois dias após o SPFW (em 4 de fevereiro), Cisne Negro é o novo filme de Darren Aronofsky com figurino assinado pelas irmãs Rodarte e com Natalie Portman no papel principal que pôs o balé de volta ao imaginário de moda.

Confirmando a tendência, na edição de inverno 2011 do Fashion Rio, duas marcas fizeram de sua passarela verdadeiros salões de dança: Maria Bonita Extra e New Order. Além de sapatilhas e tutus, outros elementos deste universo prometem sair dos grandes teatros para virar roupa do dia a dia, como polainas, bodies, faixas de cabeça...

O Chic preparou um dossiê para você mergulhar no tema, da ponta das sapatilhas ao topo do seu coque alto!
 
. Na moda

Na coleção de alta-costura da Chanel, desfilada dia 25 de janeiro, Karl Lagerfeld apostou no rosa bebê, nas saias volumosas, nas leggings de paetê e nas sapatilhas, reafirmando a tendência balé para o verão 2011.

Em 2010, no desfile de verão 2011, a grife Chloé também pôs balé na passarela, a modelo Freja Beha foi fotografada como uma bailarina para a revista Interview, e a marca de sapatos Tod’s, conhecida por seus mocassins, calçou os bailarinos do Teatro Scalla de Milão e lançou um curta com o grupo, revelando como suas coleções são produzidas.

 
Em 2009, Karl Lagerfeld havia criado um figurino para a bailarina Elena Glurdjidze, do English National Ballet. Na ocasião da prova de roupa em seu ateliê, o estilista filmou a perfomance de Elena e lançou o curta ao vivo no site da Chanel. No mesmo ano, Marc Jacobs levou bailarinas para seu desfile de verão 2010.

. No Brasil
As maiores companhias brasileiras de balé são: Balé da Cidade de São Paulo, São Paulo Cia de Dança, Cisne Negro Cia de Dança e Ballet Stagium, em São Paulo; Cia Débora Colker e Cia de dança do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, no Rio; Grupo Corpo, de Belo Horizonte; e Quasar Cia de Dança, de Goiânia.

. Figurinos
Ronaldo Fraga já assinou figurinos para o Grupo Corpo (Espetáculo Santagustín, 2002) e para a São Paulo Companhia de Dança (Passanoite, 2009). Sem contar o desfile de inverno 2010, inspirado na bailarina Pina Bausch, e a direção artística para o Minas Trend Preview, em que homenageou o Grupo Corpo. Alexandre Herchcovitch, que desenhou os looks da peça de Zé Celso Martinez (Santidade, 2008), fará também o próximo figurino do Balé da Cidade de São Paulo _a companhia já fez parcerias com João Pimenta (Crônicas do Tempo, 2010) e Lino Villaventura (Baile da Roça, 2003). Mais tradicional, o Cisne Negro Cia de Dança não deixou os estilistas de fora dos seus espetáculos: Gustavo Silvetre assinou as roupas da peça Trilhas (2008).

. Agenda
Não é só o Cisne Negro que chega às telas de cinema, no dia 23 de janeiro o Kinoplex exibe ao vivo o Ballet Bolshoi, que interpreta Concerto de Classes e Giselle, direto de Moscou. Tem também o clipe/curta-metragem de Kanye West, Runaway, em que o rapper aparece ao lado da modelo da Victoria's Secret Selita Ebanks e de uma trupe de bailarinas. Nos palcos, destaque para o francês Cédric Andrieux, dia 26 e 27 de janeiro, no Sesc Belenzinho.

No segundo semestre (em 24 de setembro), atenção para o filme The Adjustment Bureau (ainda sem tradução no Brasil), que tem Emily Blunt (de O Diabo Veste Prada) no papel de uma bailarina.

. Tablado
Os bailarinos começam cedo, se dedicam quase que exclusivamente ao balé ao longo da vida e ainda passam por testes nada leves. Mas existem escolas para quem decidiu entrar nesta área depois dos 15 anos. Em SP, a Sala Crisantempo, na Vila Madalena, e o Espaço Anacã Corpo e Movimento, nos Jardins. No Rio, atenção a Sauer Danças, escola frequentada por globais que resolveram se dedicar a dança como hobby, entre elas Alinne Moraes, Carolina Dieckmann e Luana Piovani. Em Minas, Soller Centro de Artes. E, para quem gosta de academia, vale experimentar a Xtend, aula oferecida pela Bio Ritmo que mistura balé e pilates.

. Literatura
Faltam livros sobre recentes sobre balé, mas garimpamos algumas indicações. O Último Bailarino de Mao, de Li Cunxin; Ana Botafogo: Na Ponta dos Pés, de Dalal Achar; Dance Ink: Photographs. Anote também alguns autores para ter na biblioteca: Raymund Hogue, Christine Greiner e Pina Bausch. Veja na galeria acima quem indicou os títulos.

. Filmes históricos
Sapatinhos Vermelhos (Michael Powell e Emeric Pressburger, 1948), Sol da Meia-Noite (Taylor Hackford, 1985), Momento de Decisão (Herbert Ross, 1977), Flashdance - Em Ritmo de Embalo (Adrian Lyne, 1983), Tango (Carlos Saura, 1998), Billy Elliot (Stephen Daldry, 2000), Fale com Ela (Pedro Almodávor, 2002) e De Corpo e Alma (Robert Altman, 2003). Também valem as produções do Fellini e as obras do grupo DV8, especialista em produzir cinema de dança.

. Onde comprar

As lojas especializadas são boa alternativa para quem quer entrar na onda do balé, independentemente do vaivém da moda. Melhores endereços: Capezzio (vale passar na ponta de estoque que fica no Ipiranga, os preços são mais em conta) e Só Dança. Marcas esportivas também lançaram peças especiais para bailarinos, destaque para a linha Techfit, da Adidas, que sustenta o corpo e concentra a energia dos músculos.

. Falando em sapatilhas

Tem para comprar já na Tatiana Loureiro, na Gola e na Sarah Chofakian, representante da Repetto, marca preferida das bailarinas. Ainda da etiqueta francesa, vale olhar as sapatilhas que eles fizeram em parceria com a Comme des Garçons (não estão à venda no Brasil).

. Joias
H. Stern e Vivara já fizeram coleções sobre o tema. A primeira inspirou-se no Grupo Corpo e a segunda lançou uma linha cheia de pingentes de bailarinas.

 

Enviar por E-mail

Notícias Relacionadas

Deixe seu comentário

Enviar por E-mail