Moda

Marca plus size questiona padrões de beleza da Victoria's Secret. Relembre outras campanhas com modelos reais

A Victoria's Secret e suas angels parecem não agradar todas as consumidoras de lingeries. A marca, conhecida por mostrar suas modelos magérrimas em seus anúncios, recebeu um recadinho sutil da rede plus size Lane Bryant - que acaba de lançar uma campanha com a hastag #ImNoAngel.

Com modelos de medidas reais, as imagens incentivam as clientes a se aceitarem como são e não se renderem aos padrões impostos pela Victoria's Secret - que chegou a fazer uma campanha intitulada The Perfect Body (o corpo perfeito), que causou polêmica e repercussão negativa.

Lembrando que a Victoria's Secret não investe em manequins maiores, o que deixa muitas mulheres enfurecidas. Em entrevista ao Fashionista, a CEO da Lane Bryant desconversou quando perguntada se a ação é um recado para a gigante de lingeries. "A mensagem é o que você quer que seja", disse Linda Heasley.

O foco em corpos que fogem dos padrões indústria já foi pauta de outras campanhas ao longo dos últimos anos. Relembre algumas delas:

DOVE (2004)

A marca foi a primeira a investir com força no corpo real e lançou sua primeira capanha com o tema em 2004, com mulheres dos mais variados biótipos estrelaram as imagens. A Dove mantém a postura até hoje e criou diferentes ações mostrando a verdadeira beleza das mulheres.

NIKE (2005)

A marca esportiva misturou atletas e mulheres reais mostrando partes de seus corpos das quais fogem dos padrões, mas não as envergonham. "O anúncio tenta ilustrar que nem todos os tipos de corpos são iguais", disse a porta-voz da marca, Caren Bell.

LEVI'S (2011)

Depois de irritar seus clientes com a campanha das calças Curve ID em 2010, que colocou modelos consideradas magras demais para a proposta, a Levi's criou um novo anúncio no ano seguinte com mulheres que mostram que a marca possui tamanhos para todos os tipos de curvas.

MARKS AND SPENCER (2012)

A campanha For Every Woman You Are (para toda mulher que você é) acabou gerando polêmica. Visando mostrar os diferentes tipos de corpos, a marca foi acusada de não colocar modelos de acordo nas imagens. No Twitter surgiram comentários como "me irrita que tenha apenas uma modelo com curvas ao lado de de cinco magrelas".

DULOREN (2012)

Com diversas campanhas com mulheres reais, a marca colcou três modelos plus size que dizem que "é melhor sobrar do que faltar".

C&A (2013)

Para promover sua linha plus size, a rede de fast-fashion convocou a cantora para a campanha. Preta Gil foi a estrela da linha Special For You da marca, duas vezes seguidas - mesmo com muitos comentários

AERIE (2014)

Também de lingerie, a marca incentiva o 'verdadeiro sexy' ignorando os retoques feitos pela maioria das empresas. "A garota nessa foto não foi retocada", dizia a legenda das imagens.

TRIUMPH (2014)

A marca alemã decidiu convocar mulheres de diferentes idades e tipos físicos para estrelar sua campanha. "Acho muito fascinante fazer as mulheres reais parecem incrivelmente sensuais e bonitas. A beleza realmente vem de dentro", disse o fotógrafo Marc Hom, responsável pelas imagens.

SPORTS ILLUSTRATED (2015)

A edição especial de biquínis colocou pela primeira vez uma modelo não magérrima em seu editorial. Ashley Graham foi a estrela da publicação, que até então tinha Kate Upton como a mulher com mais curvas na edição da revista.

Enviar por E-mail

Deixe seu comentário

Enviar por E-mail