Moda

Steve Jobs foi também um ícone de moda (bem ao seu jeito)

Falecido aos 56 anos nesta quarta-feira (05.09), Steve Jobs foi um dos grandes revolucionários da última década - não só no mundo da informática, mas também no comportamento.

Foi ele o responsável, à frente da Apple, por criar a cultura dos gadgets. Reinventou a relação de todos com a música via seus iPods, mas também fez do fone de ouvido branco um acessório onipresente.

Com iPads e iPhones, ajudou a reinventar a comunicação e, de quebra, virou de cabeça para baixo também a criação de imagem de moda - seja através do Instagram, aplicativo específico do celular da Apple, ou via revistas que se reinventaram à realidade animada do iPad.

Mas Jobs também era dono um senso de estilo muito particular, que fez dele um ícone involuntário da moda. Mesmo que mal ajambrado, seu guarda-roupa chama a atenção desde os anos 1970 - e fez história (e até criou desejo!) entre mais ferrenhos dos geeks.

Foi seu concorrente Bill Gates, da Microsoft, o mais proeminente nerd do Vale do Silício a começar a desafiar o dresscode do terno-e-gravata, ao adotar um jeito de se vestir mais casual - que abriu tanto espaço até chegar em Mark Zuckerberg, criador do Facebook, que não vê problemas em abrir reuniões vestindo moletom.

Jobs sempre adotou uma ironia aparente no vestir, que deixava Gates para trás. Era formal, mas de uma maneira desarrumada, com suas gravatas borboleta e coletes. E quando era casual, não era desleixado demais. E daí veio sua imagem mais conhecida - e o ícone máximo do seu guarda-roupa, a blusa preta de gola rulê.

Adotada desde os anos 1970, a indefectível blusa fez parte do seu figurino desde então. Na última década, quando reassumiu a Apple para tranformá-la na potência que é hoje, Jobs manteve a peça em todas suas apresentações de produto - sempre devidamente acompanhada de jeans surrados (sem cinto) e tênis de corrida brancos.

Peças de sorte? Pode ser. Jobs tinha suas marcas favoritas. As calças eram clássicas 501 da Levi's - os mais aficcionados juram que era o mesmo jeans desde os anos 1980, marcado com um buraco no tecido em uma das pernas. Os tênis, New Balance 991 - substituídos uma única vez, em 2002, por um par da Nike, quando anunciou a parceria da marca com o iPod.

A gola rulê, dizem, custa 200 dólares na St. Croix, loja masculina de Minnesota. Mas há uma lenda nunca confirmada (nem desmentida) pelo criador que diz muito sobre sua figura:

Jobs teria encontrado uma blusa perfeita, do estilista japonês Issey Miyake, que era a última peça da loja. Ele então teria ligado para a grife para comprar outra peça, que estava fora de linha. Jobs teria dito, então: "quantas vocês precisam produzir para que eu possa comprar uma nova?". Por isso, teria um armário cheio de blusas iguais.

Mesmo sem grandes ligações com a indústria, e sem se vestir tão bem assim, Jobs morre como o ícone mais improvável da moda nesta primeira década dos anos 2000. Coisa pra poucos.

Enviar por E-mail

Notícias Relacionadas

Deixe seu comentário

Enviar por E-mail